fbpx

Produtos de Limpeza: Saiba Como Ajudamos Nosso Cliente a Diversificar a Produção

Produtos de limpeza

Você sabe como criar uma fábrica de produtos de limpeza do zero? Não? Pode ficar tranquilo que nem tudo está perdido… Esse também era o caso dos nossos clientes da Adere. Eles, uma empresa de adesivos industriais, desejavam entrar em um novo ramo, o de Produtos de Limpeza, mas não sabiam por onde começar.

Assim, eles nos procuraram para analisar a viabilidade deste novo negócio e para ajudarmos no desenvolvimento dos produtos.

Sobre o cliente

A Adere é uma empresa do setor de fitas adesivas industriais. Seus donos a fundaram em 1967, e é a maior empresa de capital nacional fabricante de fitas adesivas no Brasil. 

Eles contataram a Mult com o objetivo de adentrar no mercado de Produtos de Limpeza que ficou bem em evidência durante a crise vivida pela epidemia do Coronavírus. Eles possuíam já noção de como gerir uma fábrica mas não sabiam como desenvolver os produtos que queriam produzir e nem sobre o processo produtivo por trás desses produtos já que seriam muitos distintos das fitas adesivas que eles já possuem produção.

Além disso, eles também estavam interessados em ter um Layout Industrial da fábrica em questão em um terreno que eles já possuíam em Sumaré mesmo, próximo a outra fábrica da empresa.

Desafios: mercado de produtos de limpeza

Os clientes gostariam de entrar em um mercado já bem concorrido, com marcas muito bem consolidadas como a OMO e Veja, por exemplo. Para isso queriam que seus produtos tivessem diferenciais em contraposto a concorrência. Dessa forma, um dos desejos dos clientes era ter produtos inovadores e biodegradáveis, desde as embalagens até os componentes utilizados.

Além disso, eles queriam ter um lucro bruto de 5 milhões de reais por mês. Possuíam, para isso, um terreno de 18 mil metros quadrados para construir a fábrica.

Desse modo, o maior desafio dos clientes era saber por onde começar a sua produção e se o investimento que eles almejavam era realmente possível de ser criado. Portanto, um caminho que necessitava de grande dedicação de tempo e estudo sobre as matérias componentes dos produtos, seu processo produtivo e do melhor layout. E, para tal, entrou em contato com a Mult.

Análise Inicial

Primeiramente os clientes tinham um valor já predeterminado que lucro bruto que gostariam e também um local para a fábrica. Contudo, eles não sabiam o volume de produção que seria proveniente desse lucro e também não sabiam quanto do espaço em questão a fábrica ocuparia, já que isso dependeria dos tamanhos da produção e dos maquinários.

Além disso, eles tinham em mente a produção de 8 produtos distintos: Lava Roupas Concentrado, Amaciante Concentrado, Multiuso, Desinfetante, Desengordurante, Detergente, Água Sanitária e Limpa-Vidros.

Analisando a Viabilidade

Pesquisa bibliográfica do produto

Primeiramente, para dar início ao nosso projeto, fizemos uma pesquisa de marcas já no mercado de produtos de limpezas, analisando os oito produtos que os clientes tinham o desejo de produzir. Assim, analisamos as embalagens mais utilizadas, os componentes, que descobrimos ser um grande ponto de atenção para o projeto já que se pode colocar apenas a classe a que o componente pertence e não a substância em si utilizada, além da quantidade veiculada em cada embalagem e os preços de venda.

Nessa lógica descobrimos que realmente era um mercado bem consolidado no país e precisávamos realmente inovar e fornecer aos nossos clientes formas reais para adentrar nesse novo meio. Com isso, esse estudo inicial corroborou para entender o sonho e o que os cliente almejavam e motivou a equipe a desenvolver um projeto ainda mais único.

Normas e boas práticas de fabricação

Complementando a primeira parte do projeto, estudamos as normas para analisar quais são os componentes permitidos em produtos de limpeza e quais não são para podermos fornecer informações válidas para os clientes. Além disso, também estudamos as boas práticas de fabricação que regem esse tipo de negócio para conseguirmos adequar o layout e toda a produção segundo as normas técnicas da ANVISA e dos bombeiros.

Componentes dos produtos de limpeza

O estudo de componentes foi bem complexo já que na fabricação de produtos de limpeza são envolvidas muitas classes de substâncias. Dessa forma, foram estudadas cerca de 18 classificações, entre elas, tensoativos, espessantes, corantes e solventes, e analisados, dentro dessas classes, quais substâncias seriam as mais indicadas para cada tipo de produto.

Por conseguinte, com a definição dos componentes de cada produto, deu se início a definição das porcentagens de cada um desses componentes, ou seja, quantos por cento de água ou de um tensoativo x seria indicado para a formulação final do produto. Com as definições das faixas de proporção conseguiu-se prever quantos kg ou litros em média seriam utilizados de cada componente e a partir disso foram orçados fornecedores e todas as substâncias indicadas.

Embalagens para produtos de limpeza

Durante o estudo constatou-se que as embalagens de produtos de limpeza eram feitas apenas de dois materiais, PET e PEAD, que diferenciam pouco em relação à permeabilidade e apelo visual. Dessa forma, estudaram-se os dois tipos de plástico, verificando-se a utilização de ambos em quaisquer dos produtos, menos na Água Sanitária, que tinha que ser de PEAD opaco para evitar a sua oxidação. 

Assim, definiram-se os formatos das embalagens, em concordância com aqueles mais comuns já vendidos no mercado. E, desta forma, foi feita também a análise dos fornecedores de embalagens para o cliente, baseando-se no volume de produção desejado.

Uma curiosidade bastante relevante foi que, ao longo do projeto, analisando-se as marcas mais comuns no mercado, constataram-se que as grandes empresas do ramo de Produtos de Limpeza, já consolidadas no mercado, fabricam suas próprias embalagens. Desse modo, sugeriu-se isso para os clientes para uma expansão futura.

Processo produtivo e maquinário

O processo produtivo dos produtos de limpeza se mostrou um processo muito simples. Isso porque ele envolve apenas um tanque de mistura, no qual há a inserção dos componentes de cada produto, e depois envase, embalamento, rotulagem e encaixotamento. Contudo, existem algumas especificações de alguns produtos que não podem ir em tanques de aço inox por exemplo e devem ir em tanques de polipropileno. Dessa forma, levou-se tudo isso em consideração ao longo da definição dos maquinários, além do volume de produção de cada produto solicitado pelos clientes e um funcionamento da fábrica de 2 turnos de 6 horas. 

Com isso, tiveram tanques sugeridos de 4 mil litros a 15 mil litros, pensando também em uma expansão futura. Além disso, também foram orçados envasadoras, paletizadoras, rotuladoras, entre outros maquinários e todos foram dimensionados já pensando na disposição que estes teriam no layout industrial.

Layout industrial

Essa foi a parte mais complicada do projeto, sem dúvida alguma. Primeiramente porque o cliente iria produzir um volume equivalente a 1,6 milhões de litros por mês de produtos de limpeza. Em segundo lugar, porque tínhamos um layout para ser feito em 18 mil metros quadrados. Com isso, começamos dividindo as áreas do terrenos em áreas de recepção e pesagem, produção, estoques e laboratórios, além da recepção, banheiros, vestiários, entre outros espaços. Com isso, chegamos em um total de metragem da fábrica de 12 mil metros quadrados, contendo 6 salas de produção, divididas entre os produtos.

O Layout foi muito desafiador, tanto pelo tamanho, quanto pela complexidade. Isso, porque dividir uma fábrica de muitos produtos, e abordar tantas legislações para garantir a autorização do funcionamento é trabalhoso. Contudo, a finalização foi um sucesso e foi entregue ao cliente um projeto no AutoCad 100% completo da fábrica.

Análise de custos

Com o custo de todos os maquinários, componentes e embalagens, analisaram-se os custos que esses processos teriam nos produtos finais, levando em consideração também gastos com luz e água. Desse modo, conseguiu-se dar aos clientes uma estimativa, considerando uma faixa de lucro, de qual o preço que ela poderia vender o produto, levando em consideração o preço de produtos similares no mercado e também qual o custo eles teriam com cada produto.

Nessa análise percebeu-se que produtos como o detergente são muito comerciais e importantes para dar visibilidade a marca mas que não acarretam em grande lucro para o empreendedor. todavia, os outros produtos comercializados tem um valor agregado muito maior e permitem que o produtor recupere o lucro e inclusive ganhe cerca de 200% de lucro, com o custo muito baixo de produção, como é o caso da água sanitária.

Conclusão produção de produtos de limpeza

Com as informações fornecidas, nossos clientes conseguiram definir, de maneira mais assertiva a viabilidade dos produtos, além do maquinário necessário, práticas durante a fabricação e o layout completo da fábrica. Será que não está na hora de diversificar o seu negócio, atuando em outro ramo? Entre em contato com a gente para um diagnóstico gratuito!

Marina Guerra

Classifique este post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *