fbpx

Alternativas Para Utensílios Plásticos Descartáveis

maria-ilves-XXRyh-ybxDs-unsplash-1-1

Por Rafael Mesquita e Ana Luiza Oliveira –

ícone de utensílios plásticos: faca e garfo cruzados em

Você, leitor, pode se questionar sobre a real necessidade de novas ações em uma conjuntura sustentável, uma vez que diversas iniciativas de reciclagem têm crescido em todo o mundo. Ainda que isso seja verdade, as perspectivas não são animadoras. Um estudo global realizado pela Science Advances evidenciou que pelo menos 79% dos utensílios plásticos descartados ainda não são reaproveitados ou mesmo incinerados, mas sim alocados em aterros ou no próprio meio ambiente.

Essa corrupção ecológica desgovernada indica uma iminente necessidade de reflexão sobre como explorar um consumo prudente. Por isso, uma tendência mundial tem sido pesquisas e desenvolvimento de alternativas sustentáveis – e viáveis – para esses produtos.

Mas por que, exatamente, investir nesse alinhamento?

ícone do planeta Terra com um ramo de plante nascendo em cima dele

Segundo dados de uma pesquisa de mercado realizada pela Union + Webster, cerca 87% dos consumidores brasileiros espera que empresas sejam comprometidas ecologicamente. Desse mercado, 70% não se importaria em pagar um pouco mais por esse diferencial. Logo, é perceptível uma crescente parcela de clientes interessada em adquirir artigos de empresas engajadas em sustentabilidade. Dessa forma, isso torna tais iniciativas interessantes mesmo sobre a visão do pragmatismo comercial. Ainda assim, você deve estar se questionando:

Quais os caminhos para além dos utensílios plásticos?

Você já se imaginou, ao final de uma refeição, comendo seu próprio canudo, seus talheres, ou mesmo seu prato? Apesar de soar como um fragmento de um livro de fantasia, esse é um panorama cada vez mais real. A seguir, entenda mais sobre essa e outras opções ascendentes no mercado para substituir os plásticos descartáveis:

1. Pratos, talheres e copos

ícone de espiga de milho

Um modelo inovador para que a louça não seja mais uma preocupação, e sem impactar negativamente o ambiente, é comê-la. Sim, isso é possível. Sejam pratos, talheres ou copos, esses utensílios já vêm sendo feitos com farelo de trigo, milho ou mesmo maçã. É o caso dos copos da empresa americana The Way We See The Word. Além de biodegradáveis, os sabores são diversos: de baunilha doce à pimenta picante. 

As alternativas reutilizáveis também são válidas, caso se adequem ao negócio. Talheres de metal, ou copos e pratos de vidro são exemplos de estratégia nesse sentido. Sob outra perspectiva, ainda há a possibilidade de aderir aos promissores utensílios feitos de madeira sustentável, opção renovável e biodegradável.

2. Embalagens

Ao pensar em embalagens para um produto, logo vem em mente quais as opções disponíveis e qual seria a melhor escolha. No caso de alternativas sustentáveis, os chamados bioplásticos podem ser a solução. O polietileno verde é um desses exemplos: renovável, já que provém da cana-de-açúcar, o material ainda tem a mesma composição e aplicação que o seu semelhante petroquímico.

Outra opção, biodegradável e tão brasileira quanto a cana, são as embalagens feitas a partir da mandioca. Elas reduzem a emissão de gases do efeito estufa e, caso comparadas às embalagens convencionais, ainda consomem menos água durante a sua produção.

3. Canudos

Esses objetos tão pequenos representam 4% do plástico produzido no mundo, sendo de enorme relevância substituí-los. E as opções são vastas: desde canudos de palha ou de bambu – alternativas naturais – a canudos comestíveis aromatizados de canela, chocolate, limão, entre outros. 

ícone de copo com canudo

Para aqueles dispostos a investir um pouco mais, existem opções como vidro e aço inoxidável, que são reutilizáveis e podem até ser vendidos a parte. Há, também, aqueles mais simples: canudos de macarrão, acessíveis e ecologicamente corretos. Por fim, os de papel, compostáveis e biodegradáveis.

Quem já está fazendo esse percurso?

Conforme uma globalização progressivamente alinhada aos objetivos de desenvolvimento sustentável, a disposição para abandonar a praticidade dos utensílios plásticos se reafirma. Mesmo que as referidas iniciativas sustentáveis soem relativamente recentes, conheça algumas empresas que já estão seguindo esse caminho:

1. Fast-Foods

Apesar de ser frequentemente associada a um panorama de consumo exacerbado e de descaso ambiental, a Mc Donald’s tem movimentado grandes esforços para superar essa perspectiva. Comprometida a substituir seus descartáveis por alternativas 100% renováveis ou sustentáveis até 2026, a multinacional tem o potencial de transformar toda uma cultura fast-food.

No caso de uma rede nacional, a Bob’s também demonstrou interesse na agenda ecológica, servindo-se de uma abordagem bastante criativa. A marca disponibiliza canudos comestíveis feitos a partir de biscoito e chocolate para seus milk-shakes. Esse produto promissor já pode ser encontrado nos estabelecimentos das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro pelo nome de Tubetes Shakes.

2. Cervejarias

ícone de engradado com duas cervejas

A empresa cervejeira Heineken propôs um planejamento de como suprimir o plástico em seus produtos até 2021. Apesar de a cerveja ser comercializada majoritariamente por latas metálicas, o respectivo engradado é embalado em plástico, e esse foi o foco do projeto. A marca substituiu esse utensílio por um modelo de anéis feito a partir de papelão reciclável.

Já a cervejaria dinamarquesa Carlsberg adotou uma estratégia diferente para lidar com a embalagem dos engradados: uma substância adesiva. O material se apresenta como uma espécie de goma de mascar que une as latas de cerveja. Então, a partir dessa transição, a empresa vislumbra uma economia de 1.200 toneladas anuais de plástico. 

ícone de cano de despejo de resíduos na água

Nesse cenário, o mercado pede ações e o caminho sustentável pode parecer sinuoso. Assim, caso sua empresa queira dar um primeiro passo seguro nessa direção, é interessante realizar um plano de gerenciamento de resíduos sólidos. O PGRS é um modelo para melhor direcionamento de ações sobre os resíduos, que pode indicar a viabilidade do investimento nas referidas alternativas.

Por fim, propor alternativas para os utensílios plásticos hoje é uma forma de se importar simultaneamente com o meio ambiente e com o mercado. E você, leitor? Está interessado em se lançar a essas alternativas para utensílios plásticos descartáveis? Já pensou em investir nesse novo mercado em crescimento? Caso tenha alguma dúvida ou consideração, sinta-se à vontade para nos deixar um comentário na seção abaixo ou nos contactar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *