fbpx

Saiba como ajudamos nossos clientes a Inovarem no ramo de Energia com a BioFloat

Biofloat

Você já ouviu falar sobre jardins flutuantes? E sobre usinas fotovoltaicas flutuantes? Explicando rapidamente, a primeira consiste em uma plataforma capaz de acomodar diferentes espécies de plantas e ajudar na eliminação da poluição dos rios. Já a segunda, consiste em uma estrutura que suporta placas solares, funcionando como uma central geradora de energia. Entretanto, instala-se essa placa sobre a superfície da água. Ambas propostas são inovações ainda pouco exploradas no Brasil e com grandes chances de expansão. Sendo assim, o nosso cliente, junto de um grupo de investidores procurou a Mult a fim de desenvolver uma plataforma. Assim, chamou-se essa plataforma de BioFloat, destinada para os dois fins comentados. 

Sobre a empresa/cliente

Rafael é um investidor da cidade de Belo Horizonte. Junto com seus sócios, ele investe em ideias e negócios para colocar em prática e impactar positivamente a sociedade. Assim, por já trabalharem no ramo de energia, eles tiveram a ideia de iniciar e investir na fábrica. Dessa forma, a noção de sucesso era o lançamento de um produto inovador, ecológico e pouco presente no território brasileiro.

Desafios e Análise inicial

ideiaComo os clientes já possuíam um modelo de plataforma, o primeiro grande desafio era entender as características do material. Sendo assim, era necessário a realização de análises no laboratório e conhecimento técnico para interpretá-las. Então, era importante entender a viabilidade de implantar um sistema de plantas e energia solar no modelo de plataforma flutuante. Além disso, era necessário entender o processo de fabricação do projeto. Dessa maneira, a parceria com a Mult foi essencial. Através dela, estudou-se a possibilidade de inovar no ramo de energia com a utilização deste produto.

Solucionando o problema

O projeto teria como objetivo estudar todos os pontos abordados anteriormente de forma personalizada.. Além de propor melhorias em relação ao produto modelo que foi entregue para a Mult. Isso aconteceu através de uma série de etapas que serão melhor detalhadas a seguir.

1. Pesquisa Bibliográfica do BioFloat

Papel com lápis, check list.O primeiro passo foi mapear o que já se conhece do material e entender as aplicações desejadas pelos clientes: jardins flutuantes e usina fotovoltaica flutuante. Além disso, foi feita uma pesquisa de produtos similares aos dos clientes, tanto a nível nacional quanto internacional. Sendo assim, foram descritas as características dos flutuadores já existentes no mercado. Ademais, também foi possível ter uma visão geral do potencial deste mercado e dos principais desafios a serem enfrentados.

2. Estudo de Normas

Essa etapa teve como objetivo orientar os clientes a conhecer as resoluções às quais devem se atentar para implementar o empreendimento. Por se tratar de um produto novo no mercado, não haviam normas que regulamentem o seu uso. Portanto, foram descritas as principais normas relacionadas a três aspectos diferentes. Assim, as que envolvem a produção da plataforma flutuante, as que estão relacionadas aos seus componentes e as normas que regulamentam as suas aplicações

3. Análise Laboratorial do BioFloat

Como já mencionou-se, os clientes possuíam um modelo de plataforma. Assim sendo, foi necessário realizar algumas análises laboratoriais para identificar a composição da amostra entregue pelos clientes. Portanto, realizou-se três tipos de análises.

A primeira foi a análise térmica, que teve o objetivo de identificar eventos de fusão, transição vítrea e/ou degradação do material polimérico. Através dela, fez-se uma comparação dos dados tabelados dos polímeros, permitindo a confirmação de quais polímeros (plásticos) a BioFloat é feita.

A análise química teve o objetivo de identificar as ligações interatômicas presentes no material. Essa foi uma análise complementar à análise térmica, para confirmar o tipo de polímero. A terceira análise é a morfológica, feita em microscópio eletrônico de varredura (MEV). Essa última mostrou em detalhes a estrutura do material e deu informações para descrever o processo produtivo e propor melhorias no produto.

4. Estudo de Componentes

Após as análises laboratoriais, realizou-se um estudo dos componentes. Nesse estudo foram descritas as principais características de cada um dos materiais da BioFloat e sua função no produto. Nesta etapa também sugeriu-se mudanças em relação ao produto enviado pelos clientes. Um dos desejos dos clientes era um produto amigável ao meio ambiente. Assim, pensou-se em melhores opções de componentes, em termos ecológicos, que sejam facilmente recicláveis e mais eficientes em suas funções.

Além disso, foi feito um estudo de aditivos, que podem ser adicionados para melhorar as características do material. De forma complementar, também foram listadas as principais espécies vegetais para aplicação nos jardins flutuantes. 

Adicionalmente, foi possível definir faixas de proporção de cada um dos componentes. Para isso, relacionou-se a porcentagem de cada um deles em relação ao volume do produto. Com estes dados, e considerando o cenário de produção mensal dos clientes, foi possível buscar por fornecedores e realizar orçamentos destes materiais.

5. Estudo da Viabilidade das Placas Fotovoltaicas

Além da aplicação para jardins flutuantes, foi feito um estudo para aplicação da BioFloat como flutuador de usinas fotovoltaicas. Por isso, mapeou-se informações das placas fotovoltaicas dos clientes e analisou se a plataforma suportaria o peso de uma placa de tamanho compatível. Ademais, descrevemos as características dos encaixes dos módulos à plataforma. Por fim, trouxemos pontos relevantes a se atentar neste projeto. Entre esses pontos estavam a manutenção das placas e a maleabilidade do material, para se adaptar ao corpo d’água ao qual será inserido. 

6. Métodos de Produção e Definição e Dimensionamento do Maquinário

maquinario_producaoPor fim, estudou-se todo o processo produtivo da plataforma, que vai desde o recebimento da matéria prima até o produto final. Ademais, realizou-se a definição e o dimensionamento de todos os maquinários necessários para a produção da Biofloat. Os cálculos de dimensionamento levaram em consideração o volume produtivo desejado pelos clientes além de possíveis perdas nos processos. Por fim, listou-se as opções de maquinários, suas especificações e respectivos orçamentos.

Conclusão

Após a realização de todas as etapas, foi possível fornecer todos os insumos necessários para a produção das plataformas flutuantes. É um produto com uma excelente proposta, visando aliar a redução do volume de plástico pós-consumo disposto na natureza. Ao mesmo tempo, contribui para reduzir a eutrofização de corpos d’água e aumentar a área disponível para a geração de energia limpa. 

Ademais, um relatório com todas essas informações foi entregue, permitindo a implementação das proposições. 

Já pensou em investir em um produto inovador? Tem interesse no ramo ou em trabalhar em um desenvolvimento de um produto? Não hesite em entrar em contato com um de nossos consultores para ter uma equipe especializada e disponível para ajudar a tirar suas ideias do papel! Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Vem falar com a gente!

Classifique este post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *