fbpx

Torresmo: Descubra Como Aumentamos a Vida Útil do Produto do Nosso Cliente

torresmoPor Amanda Ramos –

Você sabe qual a melhor maneira para se conservar o torresmo? A conservação de produtos de origem animal pode ser bastante complexa, entretanto ter uma mercadoria com longa vida útil é imprescindível para o sucesso do seu negócio. Vendo essa necessidade, nosso cliente desejava entender melhor como poderia aumentar a validade do torresmo, assim como da banha de porco. 

Assim, ele nos procurou a fim de que o ajudássemos a otimizar os seus produtos, para que fosse possível expandir o seu negócio.

Sobre o cliente

Já faziam 2 anos que nosso cliente Fernando vendia os torresmos produzidos por sua mãe em Santa Bárbara, Minas Gerais. Mas seu sonho era expandir a sua marca, estendendo a venda para além da sua cidade de modo a alcançar públicos diferentes e gerar empregos na sua região. Contudo, para atingir seu objetivo, era necessário o aumento de validade de seus produtos, permitindo que eles fossem transportados para regiões mais distantes e comercializados em supermercados sem perderem a qualidade.

Formado em Economia, Fernando tinha a preocupação inicial em regularizar e profissionalizar sua produção artesanal. Assim, ele via como caminho para atingir seu objetivo o aumento do tempo de vida útil do torresmo e da banha de porco. E, a partir disso, poder expandir o seu negócio. Assim, foi com essa motivação que ele buscou a Mult para lhe prestar consultoria.

Desafio

O principal desafio que o cliente tinha era o tempo de vida útil do torresmo. Seu produto tinha a validade de cerca de 5 dias, o que era um empecilho para a expansão das vendas. Por isso, o desejo era que esse prazo fosse de 2 a 3 meses. Tal faixa permitiria a comercialização para outros estabelecimentos, já que seria possível estocar os produtos em supermercados e restaurantes.

Com intuito de aumentar essa validade, Fernando já havia feito algumas pesquisas a respeito de embalagens, mas ainda não sabia qual seria a mais indicada para o torresmo e qual a mais indicada para a banha. Além disso, desconhecia como poderia otimizar seu processo produtivo e fazer uso de aditivos alimentares com essa mesma finalidade. Por isso, se mostrou necessária a atuação de uma consultoria especializada. 

Análise Inicial

A partir do momento em que o cliente nos procurou, realizamos um diagnóstico da sua situação, a fim de entender quais eram as suas motivações e suas principais dores. Para isso, foram feitas reuniões, sem qualquer custo inicial, para compreendermos por completo qual era a demanda do cliente e para mostrarmos como poderíamos atendê-la. 

Tendo compreendido o sonho do cliente, tínhamos em mente que a noção de sucesso do projeto deveria ser conferir ao torresmo e à banha de porco um prazo de validade que permitisse expansão das vendas. Para isso, o escopo elaborado foi pensando com esse objetivo. 

Solucionando o problema

Como o projeto era um Estudo para Aumento de Vida Útil, a pesquisa feita foi dividida nas seguintes vertentes: processo produtivo, aditivos alimentares, embalagens e demais métodos de conservação. 

A proposição de mudanças relacionadas a cada um desses quatro fatores permite que o produto seja capaz de suportar uma validade mais longa, isto é, passar mais tempo sem que suas características físico-químicas e organolépticas se percam, por exemplo o sabor, o odor e a crocância. 

O principal ponto de atuação do projeto era o de evitar a rancificação, a qual consiste na oxidação lipídica, ou seja, oxidação de gorduras e óleos. O esforço para inibir esse processo é essencial, visto que é ele um dos responsáveis pela deterioração dos alimentos e ocorre, principalmente, naqueles processados em fritura, como o torresmo. 

Assim, cada uma das quatro vertentes de pesquisa mencionadas acima tiveram como foco reduzir essa oxidação, de modo a possibilitar a maior conservação do produto. 

A seguir, explicamos sobre cada um desses estudos.

1. Processo Produtivo

Para entender o processo produtivo do torresmo e da banha, foi feita a  análise de vídeos registrados pelo cliente da sua produção.  Eles nos deram insumos para que pudéssemos dar direcionamentos quanto à otimização do método produtivo em cada etapa realizada no preparo do alimento. 

Dessa forma, o estudo teve como objetivo propor mudanças ao processo produtivo do cliente e ressaltar pontos de atenção importantes, que devem ser considerados pelo cliente ao realizar a produção do torresmo e da banha.

Além dessas proposições, foram sugeridas também algumas mudanças no processo produtivo, com o intuito de adequá-lo às normas referentes às boas práticas de fabricação de alimentos. Tal legislação visa adequar a produção conforme os quesitos higiênico-sanitários, de modo a proporcionar a segurança e a qualidade dos alimentos por meio da padronização e do controle do processo.

2. Aditivos

Como definido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), aditivos alimentares são definidos com “qualquer ingrediente adicionado intencionalmente aos alimentos sem o propósito de nutrir, com o objetivo de modificar as características físicas, químicas, biológicas ou sensoriais”.

Nosso cliente tinha a intenção de manter o aspecto natural do produto, mas também estava aberto à possibilidade do uso de aditivos alimentares. Assim, foram pesquisados aditivos que fossem indicados para o torresmo e que fossem permitidos para serem empregados segundo a Anvisa. 

3. Embalagens

Quando se tem o interessante de comercializar qualquer produto, é de extrema importância estudar os diferentes tipos de materiais (papelão, isopor, plásticos, madeira, materiais metálicos, entre outros) e como esses podem aumentar a vida útil do produto.

Além disso, as embalagens, assim como os aditivos, devem ser pensadas levando em conta a adequação ao produto, assim como a legislação vigente. Isso significa se assegurar que o uso da embalagem é regulamentado e que o material escolhido é o mais certo para o acondicionamento do alimento. 

Tendo em mente esses focos, foi possível propor o material ideal e a maneira mais adequada de empacotamento que se adequassem à realidade do cliente, e que propiciam maior conservação dos alimentos. Tal estudo foi feito tanto para o torresmo quanto para a banha, considerando as particularidades de cada produto. 

4. Outros métodos de conservação

Para complementar os métodos de conservação descritos acima, foram pesquisados outros que contribuíssem ainda mais com o objetivo do cliente de aumentar a vida útil de seus alimentos. 

Tais métodos são muito empregados na indústria alimentícia e os seguintes foram estudados durante o projeto: conservação pelo frio, pelo quente, por desidratação e por mistura. A partir das pesquisas, foi pensado em como adequar cada um dos métodos ao contexto produtivo do cliente.

Implementação

Agora, o projeto está sendo colado em prática! O cliente diz já ter comprado os equipamentos necessários, mas ainda está na fase de planejamento da nova produção. Enquanto isso, ele e sua mãe realizam seu processo de fabricação do mesmo modo como antes. E, em breve, começarão a realizar testes a partir das proposições feitas no projeto. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *