fbpx

Descubra 3 principais características de produtos de higiene pessoal infantil

banho-criança

Produtos de higiene pessoal infantil são, cada vez mais frequentemente, utilizados no Brasil. O nosso país é o terceiro maior mercado consumidor desses produtos no mundo. O apelo da indústria, com diversas opções de produtos, além dos nossos próprios hábitos são determinantes para a posição que o país se encontra.

A pele das crianças é mais fina e sensível. Por esse motivo, os produtos infantis devem conter menos substâncias químicas capazes de causar irritação e reações alérgicas. Dessa forma, a produção e o desenvolvimento de produtos de higiene para crianças diferem bastante daqueles que são feitos para adultos.

Quer saber algumas dicas para desenvolver aquele sabonete, shampoo, creme hidratante ou protetor solar para bebês e crianças pequenas? Separamos 3 características que te ajudarão a ter um produto de qualidade!

3 Principais características de produtos de higiene pessoal infatil

Quando se trata de produzir produtos de higiene pessoal infantil, algumas características são indispensáveis. Veja em seguida quais são elas e como elas se relacionam entre si.

Suavidade

Em primeiro lugar, o seu produto deve ser suave. A pele das crianças é mais permeável que a dos adultos. Por isso, ela tende a absorver mais facilmente as substâncias químicas que entram em contato com ela.  Dessa forma, deve-se diminuir ao máximo a quantidade de componentes mais agressivos.

produtos higiene pessoal infantil

Por exemplo, é desejável que a quantidade de corantes presente na composição dos produtos seja pequena. Também é altamente recomendado a ausência de álcool e outros componentes na fórmula que possam irritar a pele infantil. Ademais, é essencial a escolha de fragrâncias menos intensas para garantir a suavidade do seu produto.

A realização de testes e estudos de aceitabilidade do produto na pele infantil é necessária. Isso auxilia na definição da faixa etária ideal de utilização de cada produto, como sabonetes, shampoos, e até protetores solares. Além disso, garante que os produtos são seguros e realmente suaves.

Por fim, também é interessante, que o cosmético seja facilmente removível por lavagem. Novamente, isso tem como objetivo diminuir a irritabilidade do produto e aumentar a sua segurança, tema do tópico a seguir.

Segurança

A segunda regra para produzir cosméticos de alta qualidade é a segurança do produto. Esse é um fator de extrema importância para manter saudável a pele das crianças e dos bebês.

Os produtos infantis são elaborados para manter as características da pele dessa faixa etária. Por isso, é relevante destacar que esse público deve utilizar apenas esses produtos. Esta recomendação também ajuda a evitar o compartilhamento dos produtos, diminuindo as chances de contaminação de quem os usa.

Nesse mesmo âmbito, é importante dar atenção ao tipo de embalagem mais adequada para garantir a segurança da criança. Recipientes que liberam pequenas quantidades do produto e que não tenham pontas cortantes ou perigosas são os ideais.

Ainda é necessário alertar os pais sobre o uso de produtos de higiene pelas crianças. Isso porque um cosmético infantil não está livre de provocar complicações. Sendo assim, é imprescindível que haja uma garantia de que o seu produto não ofereça risco à saúde da criança. Caso surjam coceiras, irritações ou alergias, o uso do produto deve ser suspenso e deve-se procurar orientação médica.

Adequação à legislação

Por último, mas não menos importante, seus produtos de higiene devem seguir alguns critérios para adequação à legislação brasileira. Entre eles, destaca-se a necessidade de haver documentos que comprovem a qualidade, segurança e eficácia do que é produzido. Isso se estende também à embalagem do produto, que deve expor dados corretos e confiáveis. A fim de facilitar o cumprimento desses critérios, é recomendável seguir Boas Práticas de Fabricação em sua produção.

adequação a legislaçãoAssim, é importante que a sua embalagem contenha informações como: “Não usar em crianças menores de 3 anos; a partir de 3 anos, adultos, exclusivamente, devem aplicar; Para maiores de 5 anos: usar sob a supervisão de adulto; Não ingerir; em caso de irritação, suspender o uso e procurar um médico.” Nesse aspecto, toda cautela é necessária para evitar possíveis complicações no futuro.

A legislação atual inclui novas categorias de produtos e mais clareza e objetividade em suas recomendações. Isso facilita a vida de quem produz e também de quem compra produtos destinados ao público infantil. Desse modo, é de extrema importância que novos produtos deste ramo estejam alinhados com as normas citadas. Isso pode fazê-los ganhar reconhecimento e crescer no mercado.

Sabemos que as crianças de hoje em dia estão cada vez mais expostas à enorme gama de produtos de higiene presentes no mercado. Portanto, torna-se evidente que o cuidado da Anvisa na regulamentação dos cosméticos para esse público é fundamental.

Conclusão

O setor de produtos de higiene pessoal infantil, apesar de suas especificidades, ainda representa um ramo em ascensão no mercado brasileiro. Não há dúvidas de que a pele de bebês e crianças é mais sensível a agressões externas e internas. Nesse sentido, deve-se garantir a suavidade, segurança e adequação à legislação dos produtos de higiene para crianças comercializados.

E então? Ficou interessado no ramo de cosméticos para crianças? Nesse texto a gente te mostra tudo que você precisa saber para iniciar sua própria produção de produtos de higiene pessoal infantil. Se preferir, entre em contato conosco e agende uma consultoria especializada para iniciar a sua produção de produtos de higiene para crianças.

Paulo Borges e Pietro Camargos

 

Classifique este post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *