fbpx

Carne de Planta: Conheça a Nova Tendência do Mercado de Alimentos

burguer vegano

O mercado voltado para alimentos vegetarianos/veganos é uma tendência mundial, que vem crescendo mais a cada ano. Por isso, as indústrias estão inovando para desenvolver produtos que atendam consumidores mais exigentes. Desse modo, produtos estão surgindo para atender aqueles que não abrem mão das características da carne tradicional. Um desses produtos é a “Carne de Planta”, um produto que imita o sabor, textura e suculência da proteína animal

Ficou curioso e gostaria de saber mais sobre esse produto inovador? Neste texto vamos contar mais sobre o que é carne de planta e se vale a pena investir neste mercado. 

 

A Carne de Planta

 

Redes de hamburgueria já investem em carne de planta para o público vegetariano

Esse alimento consiste, basicamente, em um preparo à base de plantas, com sabor e textura similares ao de cortes de animais. Devido a sua repentina popularidade, agora já é possível encontrar desse produto em supermercados e, até mesmo, em restaurantes fast-food. A rede Burguer King foi uma das primeiras a trazer a novidade no Brasil, lançando em setembro de 2019. 

A ideia é que seja um produto seja sustentável, já que o objetivo é reduzir os impactos ambientais da pecuária. Ainda, esse alimento também é mais saudável do que a carne, já que apresenta menos colesterol e menos gordura saturada. Além disso, por sua formulação ser bastante flexível, atende também pessoas com alguma restrição alimentar. Hoje já é possível encontrar versões sem soja, a proteína vegetal mais usada normalmente.

 

Para todos os gostos, em todos os formatos

Embora fosse desenvolvida originalmente para substituir a proteína animal dos hambúrgueres, novos produtos surgem todos os dias, tornando esse mercado muito diverso. Já existe à venda versões de carne moída vegetal e, até mesmo, algumas que replicam a carne de frango. Inclusive, a KFC, junto com a Beyond Meat, chegou a oferecer produtos de frango produzidos a partir de plantas. 

A carne de planta é prática e rápida

Em relação ao cozimento, um ponto positivo desses produtos é a praticidade. O processo de preparo é praticamente o mesmo processo que um hambúrguer comum, é só grelhar no fogo alto e depois aproveitar essa iguaria. Ela geralmente já vem temperada com sal, pimenta e cebola, tornando-a um produto muito prático. Lembrando que esse fator aponta para uma outra tendência do mercado.

 

Como é feita a carne de planta?

A fabricação de carnes vegetais pode acontecer de várias formas. O recente crescimento desse setor é uma justificativa para a existência de vários métodos de produção, que abrangem desde técnicas mais simples às tecnologias de ponta.

a ervilha é usada em alguns casos como principal ingrediente da carne de planta

O preparo desses produtos varia bastante de empresa para empresa. Geralmente, essas carnes são feitas à base de proteína de ervilha, soja e grão de bico. Além disso, podem ser moldadas em diversos formatos diferentes, como tiras, flocos e bifes, variando de acordo com a necessidade da empresa

A beterraba é usada para tingir a carne de planta

Ademais, soluções inovadoras de aditivos à base de leveduras são responsáveis por proporcionar cor e aroma de carnes bovinas tradicionais a essas carnes. Como é o caso da leg-hemoglobina, ingrediente especial desenvolvido pela empresa Impossible Burger. Outras empresas optam por uma solução mais simples, utilizam extrato de beterraba para poder conferir a cor da carne crua, além de ajudar na suculência.

Outra startup que está apostando nesse mercado crescente é a empresa brasileira Biomimetic Solutions, criada no Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG). As fundadoras desenvolveram um tecido a base de planta que se assemelha aos tecidos proteicos animais. 

 

Benefícios da carnes de planta

Esses alimentos de proteínas vegetais chegam no mercado propondo uma alternativa mais saudável e sustentável às carnes tradicionais. De acordo com uma pesquisa realizada em 2016 pelo instituto Observatório do Clima, o setor agropecuário é responsável por emitir 69% dos gases de efeito estufa no Brasil. Logo, a substituição do consumo de carnes tradicionais por carne de plantas resultaria em grandes avanços na preservação ambiental.

Atrair a  polulação vegana para experimentar o seu produto: carne de planta

Além disso, os benefícios dessa produção se estendem aos interessados em abrir um negócio nesse ramo. De acordo com uma pesquisa do IBOPE  Inteligência, em 2018, a comunidade vegetariana compunha cerca de 14% da população total, e, em centros urbanos, esse número subia. Todavia, esses produtos também são desenvolvidos para serem consumidos por toda a população, principalmente as pessoas interessadas simplesmente em reduzir o volume de carnes animais em suas dietas. 

Em adição, esse mercado, apesar de promissor, é recente no Brasil. Isso acarreta em um cenário ainda pouco competitivo, mas preparado para receber investimentos e inovação.

 

Mercado de carne de planta é promissor para investimentos

mercado de carne de planta é promissor, indica crescimento

Portanto, o ramo das carnes de planta é um setor com tendência crescente no mercado. Ele é impulsionado pelos consumidores que estão cada vez mais conscientes de seus hábitos alimentares, e como esses afetam o meio ambiente. Além disso, as várias proteínas vegetais, como a batata-doce, ervilhas, soja, grão-de-bico e outras, ainda nem descobertas, são responsáveis por abrir um leque grande e atrativo para inovação e formulação de novas carnes desse tipo.

Entretanto, esse setor ainda é pouco explorado nacionalmente, o que torna o cenário ainda mais atrativo para empresas que buscam consolidar um espaço nesse ramo alimentício. 

 

Por Mateus Chaves e Victor Carneiro

 

Se interessou por esse mercado de carnes de plantas, ou deseja saber mais sobre como investir em um outro produto alimentício? Leia esse artigo sobre investimento em um novo alimentos e comente aqui suas dúvidas!

 

Classifique este post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *