fbpx

Saiba como Ajudamos Nossa Cliente a Iniciar a Comercialização de Antepastos

antepastos-1

 

Você sabe como começar um negócio com uma receita de família? Se sua resposta for não, pode ficar tranquilo que nem tudo está perdido… Esse também era o caso das nossas clientes Mônica e Rosana. Elas desejavam aumentar a venda de antepastos, que são uma receita de família, os quais elas faziam artesanalmente

Assim, as irmãs nos procuraram para analisarmos a viabilidade deste produto inovador e para ajudarmos também no desenvolvimento e industrialização dos antepastos!

Sobre as clientes

Mônica e Rosana são irmãs de descendência italiana que herdaram duas receitas de antepastos da família: uma de azeitona e outra de abobrinha italiana. Elas o fabricavam para consumo próprio e para festas de familiares. Em um dado momento, elas perceberam que o produto agradava a todos, mas que nenhum mercado possuía receita como a das irmãs.

Dessa forma, Mônica e Rosana viram que poderiam expandir a venda daquele produto e entrar no mercado com uma receita única e inovadora. No entanto, era necessário saber como industrializar a produção dos antepastos e como atingir um grande público com essa composição passada pela família.

Desafios

O desafio das clientes era saber qual a validade dos produtos e se precisariam fazer alterações no antepasto para comercializá-lo em supermercados e mercearias. Para isso, Mônica e Rosana teriam que automatizar esse processo, o qual era manual. Portanto, precisavam saber quais maquinários adquirir.

   Ainda, como a receita das irmãs era diferente das que existiam no mercado, elas desejavam aproveitar isso como diferencial, garantindo que ninguém iria copiá-las.

Análise Inicial

Para iniciar o projeto, conversamos com as clientes e alinhamos qual eram os ingredientes e as particularidades das receitas. Além disso, também analisamos qual a produção média que as irmãs desejavam.

Feito isso, propusemos a elas um projeto elaborado, com etapas concretas que, ao fim, pudessem dar forma ao seu sonho. O próximo passo foi iniciar o estudo por uma pesquisa bibliográfica dos antepastos, seguido pelas etapas descritas a seguir.

Solucionando os problemas e analisando a viabilidade

Pesquisa bibliográfica do produto

Primeiramente, pesquisamos quais marcas possuíam produtos similares aos antepastos das clientes nos meios comerciais. Assim, buscamos informações sobre o prazo de validade, os aditivos utilizados, além das embalagens e do preço de venda.

Após essa pesquisa, a equipe do projeto concluiu que o produto era, sim, inovador, pois não encontraram antepastos com os mesmos sabores e ingredientes. Também conseguimos tirar conclusões relevantes, principalmente em relação aos aditivos necessários de acordo com as diferentes embalagens que as clientes já tinham em mente. Eram elas: embalagens de vidro, para o varejo, e de plástico, para vender a restaurantes.

Esse estudo inicial corroborou para entender o sonho e o que as clientes almejavam. Não só isso, mas também motivou a equipe a auxiliar na produção de um produto ainda mais inovador.

Normas e boas práticas de fabricação

Como as clientes desejavam industrializar a produção, o estudo de normas foi essencial para que os antepastos tivessem o alvará dos órgãos regulamentadores para sua venda. Assim, a equipe estudou especificações de boas práticas que as clientes deveriam seguir na produção. Também estudaram a disposição dos maquinários na cozinha, como deveriam ser as especificações desse ambiente, entre outras conclusões.

Além disso, também estudamos normas a respeito dos aditivos para uso especifico em antepastos. Assim, seria possível identificar quais eram permitidos e a sua quantidade limitante, para indicarmos o mínimo possível de alteração na receita além dos aditivos naturais.

Ingredientes e aditivos

Após essa coleta das de normas, a equipe partiu para a análise das duas receitas dos antepastos. Nessa fase do projeto, os consultores estudaram o papel de cada ingrediente na receita e analisaram a sua compatibilidade com aditivos que poderiam ser sugeridos. Essa etapa foi muito importante e contou com o auxílio de um orientador especialista em alimentos, o qual nos direcionou para os melhores aditivos naturais e suas quantidades.

Por fim, como dito anteriormente, as clientes tinham duas embalagens distintas em mente. Para a embalagem de plástico, mais permeável a gases, a pesquisa indicou, além dos antioxidantes e acidulantes, um conservante para evitar a degradação do alimento. Com base nisso e considerando o uso dos aditivos propostos, apresentamos uma validade para os antepastos comercializados em vidro e outra para aqueles em plástico.

Feito isso, a equipe buscou fornecedores para os aditivos propostos para indicar às clientes onde elas poderiam adquirir esses produtos. Junto a essa pesquisa, também fornecemos uma análise de custos assertiva, com os valores de cada material.

Em seguida, a equipe enviou os dados sobre a receita para uma empresa terceirizada produzir as tabelas nutricionais e a rotulagem dos antepastos das irmãs. Essas informações são referentes aos ingredientes, ao rendimento de cada receita e aos aditivos propostos. 

Processo produtivo e maquinários

A próxima etapa do projeto consistiu no estudo do processo produtivo e maquinários necessários. Na própria etapa inicial de estudo do produto, a equipe havia analisado o processo de fabricação dos antepastos. Consequentemente, também fez a análise dos maquinários que seriam propostos para as clientes de acordo na quantidade de antepastos que gostariam de vender mensalmente.

Esse estudo demonstrou que a produção dos dois sabores de antepastos, mesmo sendo diferentes, era bastante similar e simples. Nesse caso, a diferença era apenas o final, quando um dos sabores passa por um processo térmico. 

Assim, sugerimos os equipamentos, desde os mais simples, como uma geladeira, até maquinários mais complexos, como de envase de produtos. Simultaneamente a essa proposição, a equipe também realizou o orçamento dos maquinários propostos para as clientes, além de indicar quais eram essenciais para o início da produção. Logo, também demonstrou quais equipamentos poderiam ser adquiridos com o crescimento da empresa.

Embalagens

Como as clientes já haviam decidido os materiais das embalagens e seu volume, a equipe buscou os fornecedores com quem a Mônica e a Rosana poderiam adquiri-las.

Análise de custos

Nessa etapa, com os valores dos materiais, equipamentos e ingredientes, os consultores analisaram quais custos que esses teria o produto final. Para isso, gastos com luz e água estavam incluídos, bem como a faixa de lucro desejada. Desse modo, foi possível disponibilizar às clientes uma estimativa para o preço pelo qual as irmãs poderiam vender seus antepastos. A equipe também considerou o preço de produtos similares no mercado e o custo de cada embalagem conforme a quantidade de antepastos em cada uma. 

Implementação

Nos meses de Janeiro e Fevereiro de 2021 as clientes entraram em contato com a Mult, mesmo após a entrega do projeto. O objetivo desse contato foi analisar qual a melhor forma de colocar o projeto em prática. Neste momento, Mônica e Rosana estão analisando as suas possibilidades de acordo com as informações e indicações que a Mult forneceu.

Conclusão

Com as informações fornecidas, nossas clientes conseguiram definir, de maneira mais adequada, a viabilidade de venderem seus antepastos. Além de saberem qual o maquinário necessário e que práticas devem executar na fabricação.

Será que não está na hora de você também industrializar seu negócio? Entre em contato com a gente para um diagnóstico gratuito!

Classifique este post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *