fbpx

Mercado de alimentos veganos:um nicho em expansão

lona-0BaEdsR8IRY-unsplash

O veganismo é um estilo de vida cujo o indivíduo que o pratica busca excluir produtos de origem animal. Sendo assim, os adeptos a essa filosofia de vida consomem os chamados “alimentos veganos”, ou seja, alimentos que não contém origem direta ou indireta de animais. Como, segundo o Ibope, trinta milhões de brasileiros são adeptos à alimentação vegetariana, a busca por esse tipo de alimento tem aumentado nos últimos anos.

Esse movimento que tem como motivação garantir uma produção alimentícia mais sustentável e que respeite os direitos dos animais, sem explorá-los como fonte de renda. Causa um impacto necessário para o desenvolvimento da humanidade, pois garante uma menor emissão de gases que contribuem para o efeito estufa. Além de melhor preservação dos biomas do planeta. Sendo assim, o veganismo não se limita a alimentação, podendo atingir diversos nichos do mercado como cosméticos, produção de roupas e de artigos de higiene..

A produção de alimentos veganos é bem diversa, incluindo desde produtos frescos à produtos congelados, com salgados, carnes vegetais e muito mais. Diante desse cenário repleto de oportunidades e com baixa competitividade, a brecha de ingressar nesse mercado se torna clara, uma vez que esse movimento cresce ano após ano, necessitando de cada vez mais marcas destinadas a este consumo.

Dessa forma, conhecer mais das tendências desta filosofia e deste mercado é uma oportunidade de entender e começar um negócio no ramo. Veja a seguir os alimentos veganos mais procurados.

Alimentos veganos mais Populares

 


Frescos

Dentre os produtos mais procurados estão os produtos frescos, como, por exemplo, legumes, frutas e grãos. Esses alimentos tem alta procura pois são de fácil inclusão na alimentação diária, além de serem nutritivos e saborosos. Para mais, caso a produção ocorra de forma orgânica, mais valor pode ser agregado ao valor final de venda, pois os consumidores valorizam este tipo de produção.

Carnes

Outro alimento muito popular no meio vegano é a chamada “carne de planta”, que imita a textura e sabor da proteína animal. Tendo em vista, que a comunidade vegana quer ter a experiência de comer algo semelhante a textura da carne tradicional, mas optam por uma fonte de proteína mais sustentável. Outro ponto positivo é que as matérias-primas são bem diversas, indo desde ervilha, soja, jaca até à casca de banana. Com esta diversidade de sabores, a carne de planta pode ser moldada de diversas formas, como por exemplo, na forma de carne moída ou de hambúrguer.

Salgados

Outra possibilidade de alimento são os salgados veganos, muito consumidos em eventos festivos. Os salgados podem ser feitos utilizando as carnes vegetais para tornar ainda mais interessante e saborosos. O quibe, empadas, pastéis, pães de queijo e coxinha são alguns exemplos de salgados com boa procura. O interessante aqui é a inovação de sabores e receitas, há possibilidade de salgados finos como um quiche de alho-poró, coxinha de carne de jaca ou de salgados mais simples como bolinhas de queijo vegano e coxinha de brócolis e queijo.

Doces

Os doces também tem seu espaço no coração vegano. Um ponto de atenção para os doces veganos é que as receitas podem ficar bem mais saborosas do as tradicionais. Pois o leite de vaca é substituído por leite de grãos muito saborosos como o amendoim, castanhas e até mesmo de frutos como o coco. Os doces veganos mais procurados são os leites condensados, os sorvetes, os brigadeiros, os chocolates, bem como os brownie, bomboms, além dos mousses, dos cookies e dos pudins de diversos ingredientes.

Congelados

Atualmente não existe comida melhor do que comida prática, devido a isto as comidas congeladas fazem sucesso no rotina dos consumidores. Diversas são as possibilidades de alimentos veganos congelados. As marmitas, por exemplo, contém uma refeição completa e nutritiva, substituindo a necessidade de cozinhar uma refeição principal. Ademais, a produção de marmitas pode ser muito diversificada, ampliando as oportunidades de inovação, o que potencializa o interesse do cliente pela marca que oferece uma experiência gastronômica única. Portanto, vale no mundo dos congelados explorar desde alimentos mais do dia a dia a pratos refinados e petiscos para festas como citado anteriormente.

Como começar sua produção de alimentos veganos

O primeiro passo é definir o que se deseja produzir, escolher quais produtos e subprodutos farão parte da sua empresa. Para isso, é necessário analisar o mercado e quais produtos são mais desejados na sua região. Em seguida, é importante analisar a viabilidade econômica deste futuro negócio. Assim, realizando uma análise de custos das matérias-primas, local, maquinário, buscando otimizar os custos e garantir a maior qualidade possível para a sua produção.

Durante esse processo, é necessário desenvolver  um planejamento de modo que a produção se adeque ao que se deseja e permita crescimento ao longo prazo. Para isso, o perfil de consumidor alvo deve ser bem definido, para se evitar gastos desnecessários e garantir um crescimento e rendimento maior da empresa. O ideal aqui é começar aos poucos e ir entendendo quais tipos de produtos o mercado consegue absorver.

Por fim, o empresário deve decidir onde e como irá comercializar seus produtos. Dentre as opções estão os restaurantes, supermercados e até mesmo a internet. O perfil de consumidor traçado deve ser levado em consideração ao decidir os pontos de venda dos produtos.

Além disso, a forma como se divulga e se realiza propagandas sobre os seus alimentos é essencial, tendo em vista que é o primeiro contato da marca com o consumidor. Por isso as campanhas de marketing devem ser chamativas e objetivas, com a linguagem do consumidor final. Pensando nisto, o meio que mais se destaca são as redes sociais e a internet em geral, devido ao alcance muito grande e a possibilidade de segmentação de público.

Conclusão

O veganismo é um movimento recente que tem causado impactos positivos no mercado nacional. Como vimos, o mercado de alimentos vegano é extremamente amplo, tem potencial de expansão e é bastante diversificado em produtos. Sendo assim, a boa oportunidade de investir em uma nova produção alimentícia se torna evidente e não pode ser ignorada. Por isso, estudar sobre o assunto e como ingressar no ramo é altamente recomendado.

Além disso, vimos a importância de um planejamento estratégico ao abrir um novo investimento, definindo quais são os objetivos e metas que se têm com o desenvolvimento da produção. Para isso, é preciso ter disciplina e buscar se informar em fontes confiáveis. Ademais, buscar ajuda de profissionais, como, por exemplo, de uma consultoria especializada é uma boa ideia, para garantir mais segurança nos investimentos, fazendo uma boa pesquisa de mercados e análise de custos e margem de lucro.

 

 Por  Tiago Lage Bacha

Classifique este post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *